Amanda Gurjel no Domingão do Faustão e no Fantástico

Amanda Gurgel chamou a atenção na Audiência Pública da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. A professora fez um discurso indignado, apontando os principais problemas de educação do país, os baixos salários dos professores e a falta de estrutura das escolas públicas.

Amanda veio ao Domingão para continuar sua luta pela melhoria no ensino do país e por condições mais dignas para os professores.“Eu acredito que faz parte do processo educacional ensinar a luta pelos seus direitos. Eu ensino meus alunos a lutarem, portanto eu tenho que ser a primeira”, afirmou Amanda.

Ainda sobre as condições salariais, a professora foi direta: “O salário de um deputado só é suficiente para pagar o de 30 professores.”

Em uma enquete realizada em todo país, 98% concorda com o discurso da professora.

Sucesso em um vídeo na internet no qual critica a educação do Brasil, a professora Amanda Gurgel é o retrato do educador brasileiro. Assim como vários de seus colegas, ela está doente. Mas a razão que a levou a adoecer também foi responsável por fazê-la ficar conhecida entre mais de 700 mil pessoas que assistiram o seu vídeo.

O discurso que Amanda, de 29 anos, fez na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte há quase um mês virou sensação na web. No auditório, a professora falou o que vive desde 2002, quando ingressou na carreira. Baixos salários e falta de estrutura são alguns dos fatores que a levaram a ter depressão. No entanto, ela alerta que este é um problema que atinge a maior parte da sua categoria.

– Somos uma categoria profissional doente, do ponto de vista físico e emocional. Há muitos professores que adoecem por causa da carga de trabalho. Existe um alto índice de professores hipertensos, com doenças cardíacas e psicológicas. Também são vários os que têm problemas relacionados à fala [calo nas cordas vocais, por exemplo].

Para Amanda Gurgel, que repetiu o discurso firme exibido no vídeo, o problema cresce por causa da falta de valorização do profissional da educação. Antes de ficar conhecida, ela teve de tirar licença médica. Há três anos, desde 2008, Amanda Gurgel se recupera de um “quadro grave” de depressão, ocasionado pelo trabalho de ter que administrar cerca de 700 alunos.

Dar aula em três períodos diferentes foi a forma que encontrou, na época, para se manter com a profissão pela qual já foi apaixonada.

– O salário mísero faz o professor trabalhar em dois ou três horários. Então, qualquer profissão em que você trabalha tudo isso já está além da capacidade física. Salas de aula superlotadas, com quase 50 alunos. Isso reflete o que é a saúde do trabalhador em educação.
Readaptação

A professora melhorou e há dois anos está em readaptação. Isso quer dizer que ela ainda não pode voltar a dar aulas, mas exerce atividades pedagógicas na biblioteca e no laboratório de informática. Ela relata que até neste momento tem de enfrentar situações difíceis.

– Existe uma perseguição por parte do governo contra os professores que estão em readaptação de função. As juntas médicas dificilmente liberam licenças para eles.

Mesmo assim, ela não se arrepende de ter escolhido ser professora, ainda que pense em trocar de ramo para melhorar sua qualidade de vida.

– Não me arrependo e não me vejo fazendo outra coisa. Mas, às vezes eu penso e me desespero. Também não digo que não vou deixar de ser professora nunca. Entendo que mesmo os apaixonados pela profissão podem precisar mudar, para ter melhores condições de vida. Eu era apaixonada. Tive um sonho que foi desconstruído. Quando entrei na universidade, eu imaginava que ser professor era uma coisa. Na prática, era outra.

Fonte: Rede Globo e 180 graus.

Sobre São José dos Basílios

A equipe de autores deste blog são os(as) pacato(as) cidadãos(ãs) de São José dos Basílios que moraram/moram na cidade, mas que vivem inconformados com os desmandos que ocorrem na sociedade local, temos a pretensão de ser advogados do povo desfavorecido e que oferecem este espaço para informar os leitores locais, maranhenses e brasileiros sobre atualidades locais e regionais, fatos noticiosos que geralmente não são divulgados na grande mídia do clã Sarney.
Esse post foi publicado em Brasil, Início - Principal e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s